INÍCIO

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

PAPO DE GATEIRA: Como Lidar Com Gatos Medrosos

Vamos conversar sobre os medrosos? Eu tenho um gatinho muito medroso em casa, o Belo... Ele é super amoroso conosco, mas tem muito medo de visitas e sempre que chega alguém em casa, ele se esconde. Eu respeito, e deixo ele quietinho na cantinho dele. Mas fui em busca de informações sobre os gatinhos medrosos, e vim contar tudo pra vocês! 

Gatos são tidos como animais reservados, cautelosos, misteriosos. Se aproximam das pessoas quando veem oportunidade de ganhar, se não, ficam distantes. E se dissermos que parte dessa "timidez" pode ser gerada por medo? Gatos podem, sim, ser medrosos e, por causa disso, ter dificuldades de se relacionar com pessoas, outros animais e até objetos. As orientações a seguir podem ajudar você a lidar melhor com seu gatinho medroso.

• Filhotes: Primeiramente, devemos pensar na prevenção de problemas. Portanto, se você acabou de adotar um filhote, você deve começar a sociabilização deste animalzinho. Ou seja, expor o bichano a diversos estímulos (sons, objetos, pessoas, crianças, cães, outros gatos), associando-os com um alimento bem saboroso ou um carinho, e ele aprenderá a se sentir mais confortável diante de situações novas. Para evitar traumas e por consequência, um gato medroso, evite estímulos muito exagerados, como barulhos altos, pessoas estranhas querendo tocar o gatinho, objetos grandes e muito próximos ao pet. A ideia é apresentar gradualmente os estímulos, para que o felino ganhe confiança. Manipule bastante e faça carinho no filhote. É comprovado que manipulação precoce diminui as chances do gato se tornar medroso.

• Adultos: Se você já tem um gato medroso, a primeira providência é determinar exatamente qual o causador do medo – outro gato, uma criança, um barulho, um objeto. Devemos evitar expor o gatinho a essa situação fora dos treinos, para não traumatizá-lo. O treino deve começar providenciando um refúgio para o bichano – uma caixa de transporte – e ensinando o gatinho a descansar lá dentro. Coloque lá dentro rações, petisquinhos, brinquedos, um sachê com Catnip (erva que entretém gatos sensíveis ao princípio ativo, fazendo com que brinquem e relaxem) para que o gato se interesse em entrar na caixa.
Adaptado o refúgio, o felino deverá estar dentro dele sempre que for apresentado ao estímulo, porém a uma distância onde ainda não demonstre apreensão ou susto. Assim, devemos recompensar o bichano com um alimento saboroso, sem forçá-lo a entrar em contato com o estímulo. Diminuímos cada vez mais a distância entre o gato na caixa e o estímulo, até que possamos abrir lentamente a porta da caixa e ele tenha interesse em sair.

Se o medo for de pessoas entrando em casa, podemos também entreter o felino com brinquedos e alimentos, e recompensá-lo enquanto as pessoas se aproximam. Outra atitude benéfica é fazer refúgios no próprio ambiente, para que o gatinho medroso possa se esconder e sentir-se seguro. Gatos gostam de observar as situações do alto, e se sentem mais confiantes nesses locais, portanto, colocar prateleiras no alto, com caixas ou lugares onde o bichano possa entrar quando precisar sair de cena. Isso ajuda muito o gato a lidar com situações que considere perigosas, pois sente que tem uma "rota de fuga".
Se o medo for muito grande, outro aliado é um produto chamado feromônio sintético, que pode ser comprado em grandes lojas especializadas em produtos para animais. Esse produto tem a função de exalar odores que similares aos produzidos naturalmente pelos gatos, odores que transmitem tranquilidade e segurança.

• Atenção aos sinais: Os sinais mais comuns e as mudanças de comportamento que indicam estresse e medo exagerado costumam ser:
- Pupilas dilatadas;
- Fazer xixi e cocô em lugares impróprios, mesmo tendo sido educado a usar a caixinha de areia;
- Marcar território mesmo quando castrado e educado para não fazê-lo;
- Comportamento agressivo;
- Inquietude, ou seja, o gatinho é incapaz de relaxar, parece alerto o tempo todo;
- Letargia e depressão;
- Fugir das companhias e evitar mesmo seu dono, a quem tanto ama;
- Esconder-se;
- Tentar escapar constantemente;
- Perda de apetite;
- Vocalização excessiva e fora do comum, com aumento dos miados;
- Comportamento destrutivo;
- Tremores e ansiedade.

• Fique atento às causas do medo: As causas do medo podem ser de ordem ambiental, emocional e/ou físicas.
As principais causas relacionadas ao ambiente invariavelmente estão relacionadas à quebra da rotina, algo que é capaz de tirar muitos gatos do seu prumo.

→ As causas ambientais costumam ser:
- Barulhos de fogos de artifício, obras de construção, famílias discutindo, trovoadas;
- Mudanças de ambiente, tais como mudar de casa ou ter a casa redecorada;
- Mudanças leves de rotina, tais como mudar de emprego e voltar para casa em um horário diferente do dia ou ir de férias;
- Mudanças radicais na rotina, como a separação de um casal, chegada de um bebê, animal de estimação novo, morte de um animal de estimação que era seu companheiro, hóspedes novos, ausência de algum membro da família.

→ As causas relacionadas ao emocional do gatinho costumam ser:
- Ansiedade de separação;
- Saudades, causadas pela morte de um membro da família ou outro animal de estimação;
- Medo de agressão ou de gritos dos membros da família;
- Se o gatinho veio de um abrigo ou de um outro lar, ele pode ter sofrido algum tipo de agressão, e sem um tratamento será sempre desconfiado, mesmo quando muito amado. Ele pode ter sido muito marcado pelas dificuldades, e suas memórias podem ser tão vivas que o pet chega a acreditar que aquela continua sendo sua realidade;

→ As causas físicas, ou seja, problemas de saúde que podem ocasionar esse tipo de comportamento são:
- Obesidade ou desnutrição;
- Doenças silenciosas, porém dolorosas;
- Lesões de pele, entre os dedos, ou até mesmo embaixo das unhas e ouvidos;
- Infestação de pulgas, vermes ou outros parasitas;
- Alergias.

• Como resolver o problema: Treinamentos, com mudanças comportamentais por parte dos donos, pode ajudar. As terapias alternativas, como o uso de florais, acupuntura e homeopatia também costumam apresentar ótimos resultados, especialmente se aliados à mudança de comportamento dos membros da casa.
Manter seu gato ativo, com exercícios que estimulem sua mente e seu corpo, ajudam resolver esse tipo de problema.
É bom garantir que o medo do seu gatinho não seja reflexo de um problema físico, por isso, leve-o sempre para check-ups, para ter certeza de que não há nenhum mal físico.
Em casos extremos, os médicos veterinários podem prescrever medicações ansiolíticas. Nunca use uma medicação de seres humanos para sanar um problema que você acredita que seu gatinho tenha, menos ainda sem o conhecimento do veterinário. Isso pode ser mortal ao seu pet.

Muitos gatinhos, apesar da terapia comportamental e até do uso de medicamentos, podem não se tornar totalmente aptos a lidar com situações estressantes e causadoras de medo. Portanto, é importante visar a qualidade de vida do felino, fazendo com que ele viva num ambiente calmo e seguro.

E não se esqueçam: Essa é uma pesquisa feita na Internet. Qualquer dúvida em relação à saúde e comportamento do seu animal de estimação, consulte um veterinário.
→ Fontes de pesquisa: AgendaPet e Universo Pet.

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

DICA DA GATEIRA: Almofadas Personalizadas - Almofapet

No espaço DICA DA GATEIRA, eu dou dicas de produtos que encontro na Internet, e acho bacana. Produtos para os animais de estimação, e para os donos também. São apenas DICAS, não conheço pessoalmente os produtos.

Que tal uma almofada personalizada com a foto do seu animalzinho? Sensacional, né?!
Hoje eu mostro pra vocês a Almofapet, vem conhecer!

Almofapet
Imagem de propriedade da Almofapet.
Descrição: Almofadas personalizadas, ou seja, a pessoa envia a foto do seu animalzinho de estimação, e a Almofapet faz a almofada exclusivamente para essa pessoa.
Mas se você não quiser fazer personalizada, não tem problema, é só escolher a raça que a Almofapet faz também.

Informações (da Página Almofapet e algo mais): Dicas e lembretes: 
- As almofadas que faço, na sua maioria, são personalizadas, ou seja, a pessoa me envia a foto do seu animalzinho de estimação, e eu faço a almofada exclusivamente para essa pessoa.
- Mas se você não quiser fazer personalizada, não tem problema, é só escolher a raça que faço também.
- A almofada não precisa ser necessariamente de animalzinho de estimação. Pode ser de gente, paisagem, objeto... O que você quiser! Tem foto do namorado (a)? Pode também! Fez uma viagem, bateu uma foto incrível? Manda que eu faço! Viram? São mil possibilidades!
- Importante salientar que a qualidade da almofada depende muito da qualidade da foto enviada (resolução, luminosidade, posição do animalzinho, da pessoa na foto), aí então fica a dica:
Procure sempre enviar a foto com uma resolução mínima de 300 dpi;
Tire fotos em lugares com luminosidade, e se possível ao ar livre (mas cuidado para o sol não incidir diretamente, aí vai ficar claro demais);
Fundo neutro também ajuda;
Mas se não for possível seguir essas dicas, não se preocupe, a gente sempre dá um jeito!
Imagem de propriedade da Almofapet.
Já tá doidinho(a) pra ter uma almofada do seu animalzinho, né? Então entre em contato com a Almofapet e solicite o seu orçamento. É só curtir a Página no Facebook e enviar uma menagem! 

► Vem curtir a Página Almofapet e algo mais: AQUI.
► Acesse o Blog Almofapet e algo mais: AQUI.
Imagem de propriedade da Almofapet.
→ Esse post NÃO é um PUBLIEDITORIAL. Eu ainda não tenho o produto. É apenas uma DICA.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

PAPO DE GATEIRA: Como Fazer o Gato Parar de Morder e Arranhar

Na semana passada, conversei com vocês sobre o porque dos gatos morderem (AQUI), e essa semana, vamos conversar sobre como fazer, e que medidas podemos adotar para fazer com que os gatos parem de morder e arranhar. Vem ver! 

• Conheça os incentivos que podem levar um gato a mudar de comportamento. Gatos respondem bem ao reforço positivo, ou seja, o elogio e a recompensa para o comportamento correto e o desprezo e rejeição para o comportamento inadequado.

• Nunca bata, grite, persiga ou perca a paciência com o gato. Ele pode ficar aterrorizado e se tornar nervoso e confuso. Nunca chame um gato para perto de você e então puna-o. O gato não vai entender porque você o está punindo, uma vez que o fato de ser chamado por uma pessoa é associado a respostas agradáveis, alem de já estar separado do incidente que tenha te irritado.

• Aprenda a antecipar a intenção de morder e arranhar do gato em relação a alvos humanos. Muitos donos de gatos aprendem a ler os sinais de que o gato está prestes a fazer alguma coisa, como morder e arranhar. Se você estiver acariciando-os ou interagindo de alguma forma, fique atento aos sinais, como pupilas dilatadas, pele ondulante ou parar de ronronar. Se o gato está olhando para você com as orelhas pontudas para trás ou se contraindo, você deve parar de brincar e dar ao gato algum espaço. Uma vez que você sentir que um gato está prestes a começar a morder ou arranhar você, há coisas que você pode fazer para cortar este mau comportamento pela raiz, tais como:
- Levá-lo para o arranhador usado especificamente para este fim.
- Dê-lhe um brinquedos de borracha para morder. Elogie quando ele morder o brinquedo.
- Deixe o gato sozinho.

• Evite fazer carinho no seu gato após ele ter mordida e arranhado. Após disciplinar o seu gato, não o afague ou acaricie. Isso com certeza vai confundir o seu gato e dar uma mistura de sentimentos diferentes que pode levar o gato a morder e arranhar sempre que quiser um afago.

• Não afague o abdome de seu gato. Muitos gatos não gostam de ser tocados no abdome - isto os faz sentir-se expostos, sem defesa. Muitos reagirão mordendo. No entanto, você pode tentar acostumar seu gato a ser tocado no abdome, passando algum tempo junto com ele e recompensando-o por bom comportamento.

• Ofereça mais entretenimento ao animal. Compre brinquedos para o gato morder e um arranhador. Gatos precisam morder, mastigar e arranhar para se divertirem. Tente brincar com o gato usando um brinquedo tipo 'vara de pesca', para que suas mãos estejam livres de mordidas.

• Observe e conheça o seu gato. Se o seu gato está balançando a cauda em sinal de alerta, de orelhas em pé, assobiando ou rosnando, não se aproxime dele até que ele se acalme. Muitos gatos, quando estiverem em estado de alerta, vão saltar sobre qualquer coisa que se mover perto deles, como um pé ou uma mão.
Conheça o seu gato, quer ele esteja agressivo ou não. Os gatos demonstram afeto por seus donos, como os cachorros, mas alguns gatos precisam de tempo. Ofereça guloseimas com a mão ao seu gato, e brinque com ele. Se você se preocupa com a possibilidade de ser mordido enquanto estiver brincando com o gato, amarre um pequeno brinquedo para gato em uma corda, e arraste atrás de você. Evite falar num tom de voz muito alto ou fazer barulhos muito altos, e procure mover-se devagar. Se o seu gato se assustar, pode reagir saltando e mordendo.

• Recompense seu gato. Parte do treinamento bem sucedido de um gato envolve uma recompensa. Se o seu gato brinca amavelmente com você, recompense este comportamento. Você pode dar-lhe pequenas guloseimas pelo seu bom comportamento. Você pode fazer isto durante o treinamento do filhote, e durante todo o tempo até a idade adulta.

• Tente não deixar seu gato sozinho por longos períodos de tempo. Os gatos que ficam sozinhos sem estímulos, tornam-se entediados. Muito frequentemente reagirão brincando agressivamente com seus donos. Este comportamento agressivo frequentemente toma a forma de arranhar e morder, e em alguns gatos isto pode machucar. No entanto, alguns gatos são muito jeitosos durante a brincadeira.

• Nunca use os dedos para brincar, especialmente com um filhote. Sim, os filhotes são muito brincalhões e sim, se você balançar os dedos em volta deles eles irão brincar com seus dedos, e isto será muito bonitinho! Mas, deixar seu filhote brincar com seus dedos só ensina os gatos a morder estes dedos mais tarde na vida. Se o seu gato quiser brincar  com você, e você o ensinou a brincar com seus dedos, ele vai morder e arranhar seus dedos. E não será apenas com você; eles brincarão da mesma forma com seus amigos, seus filhos e outras pessoas da família. Ensine seu gato a brincar com brinquedos, em vez de brincar com os dedos das pessoas.

• Diga "NÃO". Normalmente quando vocalizamos a palavra "NÃO" com firmeza, mas sem gritar, o gato entende que fez algo errado. Gatos se comunicam entre si com linguagem corporal e vocalização, e conosco também pode funcionar assim. Ao dizer a palavra "NÃO", aponte o dedo em direção ao gato, vire as costas e se afaste por uns 10 minutos. 
Nos casos de gatos dominantes ou agressivos, dizer "NÃO", e bater palmas pode ajudar a conter o comportamento arredio. Porém, não bata palmas para gatos medrosos ou tímidos. E lembre-se: Nunca bata palmas muito próximo a face do animal. 
No momento em que seu gato parar de morder ou arranhar você deve pegá-lo sem dizer uma palavra e colocá-lo onde quer que o incidente ocorreu. Tente assumir uma linguagem corporal de descontentamento ao fazer isso, mas não o machuque ou o aperte. Você também pode dizer "NÃO" firmemente se achar apropriado.

• Em casos de brigas com outros gatos, ou ataques muito fortes, pode-se usar o spray de água. Quando o gato arranhar ou morder, pulverize a água no pelo ou nas costas, dizendo "NÃO" com firmeza e autoridade. Não grite. Nunca pulverize na face do gato, pois pode ser aterrorizante. Não encharque o seu gato. Deve ser um spray curto e rápido. O spray de água só deve ser usado em casos de agressividade extrema. Se você sabe que o seu gato costuma morder ou arranhar em momentos específicos, mantenha o spray água perto de você naquele momento. Não utilize spray se o gato for muito medroso ou tímido, pode acarretar em traumas.

• Descubra qual pode ser o motivo pelo qual o gato esteja arranhando e mordendo. Saber a causa é essencial para contornar o problema e pode ajudar a identificar o que leva o gato a fazer isso. Este comportamento de morder e arranhar pode ser causado por um ou mais dos seguintes:
- Auto-defesa: morder e arranhar é a melhor forma de defesa de um gato. Se você machucar o seu gato acidentalmente (como sentar em sua cauda), ele pode ter esse comportamento como uma resposta natural. Ele não está fazendo isso para ser mau para com você, ele está apenas dizendo: "Ai, isso dói!" Não bata palmas ou espirre água no gato, basta suavemente, mas com firmeza, dizer "não".
- Agressão: Seu gato está tentando ser o macho alfa da casa. Castre-o, de modo que você possa assumir o papel dominante.
- Stress (barulho, mudanças no ambiente, pessoas irritadas, etc): Seu gato é emotivo e não gosta de mudanças. A melhor resposta é a de restaurar a calma e normalizar a atmosfera. Desligue TV’s ruidosas, acalme as crianças, mantenha as pessoas irritadas longe dos gatos.
- Muita excitação: Gatos são brincalhões, mas às vezes eles ficam muito animados se excedem com mordidas e arranhões. Não ache bonito e mude a atenção do gato para o poste ou o brinquedo.
- Medo quando segurado com força: Se crianças ou outras pessoas judiam do gato, ele vai crescer com medo de ser pego e pode responder com mordida ou arranhão. Supervisione as crianças ao brincarem com o gato e as instrua sobre isso.
- Doença: Às vezes, morder ou arranhar é uma reação do gato que esta se sentindo mal e , por isso, tem medo do toque ou da proximidade. Neste caso, se você suspeitar de doença, leve o seu gato ao veterinário para um check-up imediato.
- Ficando idoso: Um gato mais velho que se tornou frágil com o tempo pode se ressentir de ser pego ou abraçado e pode morder ou arranhar para conseguir um pouco de paz. A família precisa estar atenta a idade do gato e a necessidade de carinhos mais suaves.

• Lembre-se sempre:
- Mordidas de gato pode causar infecções. Procure um médico.
- Se a mordida for totalmente repentina e sem explicação, leve seu gato ao veterinário para um check-up imediato. Pode ser uma condição médica que precisa de tratamento.
- Não ponha outra coisa que não seja água na pistola de água ou garrafa de spray.
- Se o seu gato reage mal a qualquer um dos métodos, mude o método imediatamente.
- Nunca bata no seu gato, pois isso só vai fazê-lo pensar que você é uma pessoa má, o que vai fazer ele querer te evitar ou se tornar agressivo.
- Não deixe as crianças fazerem mal ao gato, como gritar, puxar, bater, usar o frasco de spray desnecessariamente.

E claro, qualquer dúvida em relação à saúde e comportamento do seu animal de estimação, consulte um veterinário. 

Com amor, paciência e carinho, os problemas de comportamento do seu animal de estimação, podem ser resolvidos. Bem estar para você, sua família e para o seu gatinho. 
→ Fontes de pesquisa: Como Fazer Tudo e wikiHow.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

PAPO DE GATEIRA: Por que os gatos mordem?

Quem tem gatos sabe que alguns bichanos podem apresentar esse comportamento. Mas por que será os gatos mordem? Será um transtorno de personalidade, onde o bichano pensa que é cachorro?! Vamos conversar sobre isso!

Geralmente as mordidas acontecem no momento em que estamos fazendo carinhos em nossos gatinhos. Ué, será que eles não curtem receber carinho?! Eles gostam de carinho sim, o que ocorre é uma certa confusão na cabecinha do bichano, pois as brincadeiras e carinhos o lembram de coisas agradáveis da infância como lambidas da mãe, por outro lado, vários gatos depois do desmame não se encostam, exceto em momentos de luta ou ato sexual (claro que não são todos assim, varia muito do temperamento, tempo que passou com a mãe, raça, etc). Nessa "salada" de instinto e sentimentos os felinos acabam sentindo um certo desconforto e reagem dessa forma.

Alguns se limitam a dar mordidinhas leves, outros já são um pouco mais agressivos com as mãos da pessoa que está acariciando, podendo até fincar-lhe os dentes.
Reagir com certa agressividade é uma forma que alguns gatos encontram para dizer que gostam de controlar a situação. Por exemplo: Podem gostar de estar ao seu lado ou no seu colo, mas apenas isso, preferem não ser acariciados.

Trata-se na verdade de um conflito primitivo que poderá ser um pouco difícil de administrar sem romper a relação que ele tem com você, mas alguma coisa deve ser feita.
Algo que costuma funcionar e de forma simples, é dizer um firme "NÃO" e parar com o afago ou brincadeira no mesmo momento. Deixar o gato de lado e não dar mais bola pra ele. O bichano pode querer continuar a "brincadeira" de morder, mas é importante se manter firme. Seja persistente! Pode levar algum tempo até ele aprender.

Outra coisa é procurar evitar brincadeiras com as mãos, mesmo que perceba que ele não está sendo agressivo. Use sempre algum brinquedo ou objeto (que não machuque o gato, é claro), assim ele irá associar melhor a ideia de que não deve arranhar ou morder a mão das pessoas nos momentos em que ele estiver numa situação mais "tensa".

Semana que vem, farei um post com mais dicas de como fazer para o seu gatinho parar de morder. Fique ligadinho aqui no Blogateira! 

E claro, qualquer dúvida em relação à saúde e comportamento do seu animal de estimação, consulte um veterinário. 
→ Fonte de pesquisa: Tudo Gato.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

VITRINE DA GATEIRA: Galhardo Móveis Pet

O espaço VITRINE DA GATEIRA, é aquele lugarzinho onde eu conto pra vocês sobre lojas (físicas ou virtuais) que tem aquelas coisinhas lindas de miar, e que a gente fica babando na vitrine! São produtos que eu ainda (frisem bem o AINDA) não comprei, mas que são lindos, e claro, como eu não quero passar vontade sozinha sozinha, eu venho aqui compartilhar com vocês! rsrs
Deixando claro que nenhuma loja mostrada aqui me pediu para fazer o post, eu conheci no mundo virtual, achei bacana e resolvi mostrar pra vocês.

Uma grande amiga (obrigada Malu!), compartilhou o álbum de uma Página no Facebook, e eu fiquei encantada com os projetos, e hoje mostro pra vocês um pouquinho da Galhardo Móveis Pet!

No VITRINE DA GATEIRA, eu sempre escolho alguns produtos para mostrar pra vocês, e na Página Galhardo Móveis Pet, eu escolhi 3 produtos, que eu achei muito bacanas, vem ver! 

Playground Para Gatos: Na página, não tem o nome, mas eu acho que é um playground para gatos! rsrs
Madeira maciça e corda, consulte valores especiais para conjuntos fechados.
Imagem de propriedade da Galhardo Móveis Pet.
Rede em Tecido: Achei muito bacana essa rede! O gatinho pode descansar, e ainda ficar observando o ambiente do alto, eles adoram! 
Imagem de propriedade da Galhardo Móveis Pet.
Conjunto em MDF: Conjunto em mdf revestido ou pintado, com forração em pelúcia. Enriquecimento ambiental é muito importante, principalmente para gatos que vivem em ambientes internos.
Imagem de propriedade da Galhardo Móveis Pet.
Eu escolhi esses 3 projetos, mas na Página Galhardo Móveis Pet, tem muito mais! 
► Vem conhecer a Página Galhardo Móveis Pet: AQUI.

• Pessoal, na Página não tem o preço dos produtos, então vocês precisam fazer a consulta diretamente com eles, enviando mensagem inbox.
→ Lembrando que eu ainda não realizei compras na Galhardo Móveis Pet, apenas a conheço por sua Página no Facebook, e achei os produtos muito bonitos e funcionais. Se você quer saber mais sobre a política de compra, preços e sobre os produtos, curta a Página e entre em contato com a Galhardo Móveis Pet, AQUI.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

PAPO DE GATEIRA: Banho de Gato

Existe tarefa mais complicada para um gateiro, que dar banho nos gatos? Apesar de que tem gato que gosta de banho sim! Mas o ideal é acostumar o bichano com o banho desde pequenininho. Em casa, damos banho nos 5 gatos. Minha irmã que é a 'expert' em dar banho nas crianças. Mas se eu disser que eles gostam, vou estar mentindo... Encontrei essas dicas bacanas no AgendaPet, e vim compartilhar com vocês!

PREPARAÇÃO DO BANHO:
Pegue toalha e xampu e encha uma bacia ou banheira com água morna para o seu gatinho.

1. Você vai precisar de uma banheira ou bacia para colocá-lo e de uma toalha para enxugar o animal depois. Caso opte pela bacia, coloque um tapete de borracha embaixo para que não corra o risco de escorregar.
Um xampu especial para gatos é importante para evitar alergias, além de deixá-lo com um cheiro muito bom. Na dúvida, consulte com o seu veterinário sobre qual é o mais indicado para o seu pet.
2. Encha a bacia de forma que não fique muito cheia para não assustar o felino e evitar possíveis acidentes.

A quantidade de água vai depender do tamanho do animal.
O maior cuidado provavelmente seja quanto à temperatura da água, pois ela deve estar morna, jamais muito quente e menos ainda gelada, já que a água gelada assusta o gato e a quente pode machucá-lo. Pense como se fosse dar banho em um bebê.
Importante: escove os pelos antes de molhá-lo, principalmente se tiver pelos muito grandes. Uma vez molhados, não conseguirá desembaraçá-los. Além disso, vale a pena cortar as unhas do gatinho antes do banho para evitar (ou reduzir) possíveis arranhões.

MOMENTO DO BANHO:
Segure-o com cuidado e lave todo o seu corpo, tomando cuidado com os ouvidos.

3. Segurando o gato com cuidado e jamais apertando demais para não machucá-lo, passe a mão molhada por todo o seu corpo (exceto a cabeça, por enquanto) para que ele se acostume com a temperatura antes de entrar na água.
4. No momento de colocá-lo na banheira ou bacia, vá conversando com ele e fazendo cafuné. Veja, ainda, a posição que ele se sinta mais confortável, se é de pé, sobre as duas patas traseiras apenas, ou de quatro. Faça isso tudo calmamente, observando sempre a reação do gato.
5. Passe o xampu sem exagerar e esfregue cuidadosamente as mãos por todo o seu corpo, lavando patas, peito, costas etc. O ideal é enxaguar até três vezes o animal para eliminar qualquer resquício do produto.
Nunca tente afundar seu gato na água! Use as mãos, um copo plástico ou concha para despejar a água nele. Se for usar chuveirinho, muito cuidado e jamais jogue água no rosto, muito menos nos ouvidos, pois pode causar otite, além de deixá-lo irritado.
6. No momento de enxaguar a cabeça, use somente sua mão e tape os ouvidos do seu pet com muito cuidado.

O uso de condicionador é optativo e só deve ser considerado também caso o animal já esteja acostumado a tomar banho, pois o pelo vai demorar um pouco mais para se secar com o uso desse produto.

DEPOIS DO BANHO:
Seque-o usando toalha e secador até que os pelos estejam bastante secos e soltos.

7. Após enxaguar bastante, retire o animal cuidadosamente e envolva em uma toalha. Se necessário, use 2 toalhas, uma para segurar e outra para enxugá-lo. Remova o máximo de água que puder, para deixar a etapa do secador o mais curta possível.
8. Sempre use um secador, garantindo que os pelos estejam secos até a raiz. De todas maneiras, fique atento: é bem provável que seu gato odeie o barulho do secador. Além disso, cuidado com a temperatura do ar quente: garanta que seu gato esteja a uma distância confortável (vá colocando sua mão junto a ele para sentir como está a temperatura).
Em casos de gatos com pelagem mais longa, é indicado que o uso de secador junto com uma escova para garantir que os pelos estejam totalmente secos e livres de nós.
9. Por fim, vale recompensar seu gatinho com seu biscoito ou aperitivo favorito e torcer para que ele tenha uma memória positiva de toda esta experiência.
Acostume o seu gatinho com o banho, aos poucos. Você pode dar banho em seu gato de 15 em 15 dias em épocas mais quentes do ano. No frio, pode espaçar mais esse tempo entre um banho e outro, e cuidado redobrado.

Um gatinho limpinho e cheiroso é tudo de bom! ♥
→ Fonte: AgendaPet.